carros a combustão

Carros a Combustão Chega ao Fim na Europa: Sim ou Não?

Nos últimos anos, existe uma crescente preocupação ambiental e uma procura incessante por alternativas sustentáveis na indústria automóvel. Por isso, fala-se no fim dos carros a combustão na Europa.

A pressão para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e melhorar a qualidade do ar nas cidades está a moldar o futuro da mobilidade. Ao mesmo tempo, estão a ser introduzidos incentivos substanciais para promover a adoção de veículos elétricos e de baixas emissões.

Neste artigo, descubra qual será o futuro dos carros a combustão na Europa, assim como as tendências de mercado e os desafios tecnológicos.

 

O que são Carros a Combustão?

Também conhecidos como veículos a combustão interna, tratam-se de veículos que utilizam motores de combustão interna para funcionar.

Por norma, esses motores queimam combustível como a gasolina, dentro de uma câmara de combustão interna para gerar energia mecânica, que se usa para mover o veículo.

 

veja também - kroftools

 

Os Carros Elétricos têm Cilindrada?

Não, carros elétricos não têm cilindrada.

A cilindrada é uma medida que se refere ao volume total de todos os cilindros num motor a combustão interna, geralmente expressa em litros (L) ou centímetros cúbicos (cc).

Esta unidade de medida serve para descrever a capacidade do motor de um veículo a combustão e está relacionada com o desempenho e a potência do motor.

 

Qual a Diferença entre Carros a Combustão e Carros Elétricos?

Os carros a combustão utilizam motores que queimam combustíveis fósseis para gerar energia, emitindo gases poluentes, como o CO2.

Em contrapartida, os veículos elétricos usam a eletricidade para alimentar motores elétricos, eliminando a combustão de combustíveis. São mais eficientes e produzem zero emissões de gases.

Além disso, os carros elétricos tendem a ser mais silenciosos e exigem menos manutenção por terem menos partes móveis.

 

carros elétricos

 

Qual o Impacto Ambiental dos Carros a Combustão?

Os carros movidos a combustão representam um sério desafio ambiental devido às suas emissões de gases de efeito estufa, poluição do ar, dependência de recursos finitos e impactos adversos na saúde e nos ecossistemas.

Por isso, a transição automóvel para veículos elétricos e fontes de energia mais limpas é fundamental para reduzir esses danos.

 

Europa e Metas de Emissão Zero para Automóveis

Para combater as alterações climáticas, o Parlamento Europeu aprovou a Lei Europeia do Clima, que estabelece que a União Europeia (UE) deverá reduzir, pelo menos, 55% das emissões líquidas de gases com efeito de estufa. Nesse sentido, os Estados-Membros definiram políticas ambientais até 2050 para alcançar esse objetivo.

Além de medidas para reduzir as emissões do transporte aéreo e marítimo, a UE estabeleceu metas no que diz respeito ao transporte rodoviário, que é responsável por um quinto das emissões de CO2 de toda a União.

Para que a UE possa reduzir as emissões dos automóveis em 55% e 50% das carrinhas até 2030, face aos dados de 2021, todos os novos carros do mercado europeu deverão produzir zero emissões de CO2, sem afetar os carros que já se encontram em circulação.

Por outro lado, o fim de carros a combustão e a transição para soluções mais ecológicas deve fazer-se acompanhar por infraestruturas de combustíveis sustentáveis. Por isso, os eurodeputados requerem zonas de carregamento elétrico a cada 60 km ao longo das principais estradas europeias até 2026. Além disso, querem estações de abastecimento de hidrogénio a cada 100 km até 2028.

 

Parlamento Europeu e o Fim dos Carros a Combustão: Qual o Ponto de Situação em 2023?

A decisão da UE quanto à proibição dos carros a combustão na Europa até 2035 contou com avanços e recuos.

Em outubro de 2022, o Parlamento e os Estados-Membros da UE chegaram a um acordo sobre as regras finais do futuro dos carros a gasolina e a gasóleo, tendo sido aprovado em fevereiro de 2023. No entanto, a ratificação do texto foi adiada em março.

Apesar dos impasses, a legislação entrou em vigor em abril de 2023.

Embora haja consenso entre a maioria dos Estados-Membros, os governos da Alemanha, Itália, Polónia e Bulgária manifestam algumas preocupações sobretudo no que diz respeito ao emprego e à indústria europeia.

Todos os carros movidos a combustão, incluindo os veículos híbridos estarão proibidos de ser comercializados. No entanto, poderão continuar a circular os carros movidos a combustíveis fósseis até ao fim da sua vida útil.

Ou seja, os europeus não poderão adquirir veículos ligeiramente eletrificados (mild hybrid, MHEV), híbridos convencionais (sem bateria recarregável, HEV) e híbridos plug-in (PHEV).

Assim sendo, só poderão comercializar veículos elétricos na Europa, sejam eles a bateria (BEV) ou a célula de combustível a hidrogénio (FCEV).

 

kroftools - subscrevernl

 

Estatísticas de Vendas de Carros a Combustão vs. Elétricos na Europa

De acordo com a ACEA (Associação dos Construtores Europeus de Automóveis), os veículos elétricos atingiram uma quota de mercado de 15,1%, contra 13,4% dos veículos a diesel.

Segundo a informação disponível, no primeiro semestre de 2023, Espanha, Itália, França e Alemanha foram os países onde se registou um grande número de vendas de carros elétricos.

Esta tendência também se verifica em Portugal, onde as vendas dos elétricos já superam a dos veículos a gasóleo.

 

Qual o Futuro dos Carros a Combustão?

Com estas medidas, não poderão ser produzidos novos carros movidos a gasolina ou diesel. No entanto, poderão continuar a circular os carros movidos a combustíveis fósseis até ao fim da sua vida útil.

Durante este período, será possível vender e comprar carros usados movidos a combustão. Contudo, o custo do combustível, manutenção e outros custos de propriedade poderão aumentar.

 

Quais os Incentivos Europeus para Veículos Elétricos?

Para que o fim dos carros a combustão na Europa seja possível, os Estados-Membros da UE criaram uma série de incentivos para apoiar na transição automóvel.

Em Portugal, o Estado apoia os veículos de emissões nulas, regulamentado pelo Despacho n.º 5126/2023, de 3 de maio, num total de 10 milhões de euros. Mas abrange apenas os veículos 100% elétricos.

Por isso, todos os particulares que adquirirem um carro 100% elétrico em 2023, poderão concorrer a um benefício no valor de 4.000€, com limite total anual de incentivos fixado nos 1.300 veículos ligeiros de passageiros. Mas para beneficiar desse incentivo, o automóvel terá de ser novo e ter um valor abaixo dos 62.500€ com IVA e demais despesas.

Para que possa aceder a este apoio, terá de efetuar um pedido até 30 de novembro de 2023, até que o valor orçamental chegue ao fim.

Procura saber mais sobre o mundo automóvel? Então siga-nos no Facebook e acompanhe todos os conteúdos que partilhamos diariamente.

 

KROFtools - Facebook

 

KROFtools - Download catálogo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.